Posicionamento Oficial - Eleições ABRADi - Abradi

Posicionamento Oficial – Eleições ABRADi

9 de junho de 2022 Imagem destacada padrão para postagens ABRADi

Prezados Associados,

Conforme enviado no email anterior, na última terça-feira, 07/06, ocorreu a reunião extraordinária da Diretoria Nacional e do Conselho de Administração da ABRADi convocado para deliberação sobre as questões relativas à eleição de 2022.

No intuito de deixar ainda mais claro os fatos e processos traremos aqui alguns esclarecimentos. Mas, antes de mais nada, é importante destacar que é dever da Diretoria Executiva cumprir as normas constantes no Estatuto Nacional e no Regimento Interno, sob pena de ser responsabilizada pelo seu não cumprimento.

Os instrumentos são explícitos em dar poderes à Diretoria Executiva e ao Conselho de Administração. Sendo assim, seus integrantes são eleitos para decidir sobre diversos assuntos (neste caso: impugnação) quando necessário, em cumprimento ao Estatuto Nacional e à favor da Associação. E ainda, no normativo, esses membros podem se declarar impedidos de analisar o mérito e julgar. No caso da impugnação em questão, os integrantes que figuram na atual gestão e em ambas as chapas se declararam impedidos, restando assim, 5 (cinco) membros do Conselho aptos a julgar.

O mérito julgado (e decidido) pelo Conselho Administrativo concluiu o resultado das eleições nacionais, diante da impugnação impetrada pela chapa ABRADi Brasil contra a candidatura da chapa Nova ABRADi. O principal fundamento do documento é intimamente ligado ao core business da entidade. Ou seja, a ABRADi é a reunião de um grupo fechado de empresários ou executivos de agências ou agentes digitais. Portanto, como o candidato a presidente da chapa Nova ABRADi e um de seus conselheiros não são executivos de nenhuma empresa associada, a candidatura desta chapa, seguindo o normativo e decisão do Conselho Administrativo foi considerada nula.

Toda a análise e documentos são acessíveis pela página: https://abradi.com.br/eleicoes-2022-na-abradi-regionais-e-nacional/

Vale ressaltar que o escritório de advocacia contratado para assessorar o processo, como já dito anteriormente, não tem poderes para “homologar” qualquer candidatura. Isso é prerrogativa da Diretoria Executiva. A assessoria se disponibilizou a instruir o processo, orientar o procedimento eleitoral e construir um manual de campanhas eleitorais.

Desde o dia da assembleia, até o julgamento do mérito, pelo Conselho de Administração, decorreram-se 39 dias de prazo entre recursos (réplicas e tréplicas) com o intuito de garantir o direito à ampla defesa e o contraditório, que são princípios legais de qualquer eleição democrática (como foi o caso) e a isonomia entre as chapas concorrentes.

Por isso e, também pelo fato de que, como todos os associados, os diretores da associação dedicam parte do seu tempo, voluntariamente, mas com total compromisso, concorrendo com suas atividades principais em suas empresas, os trâmites avançaram na maior celeridade possível, sempre respeitando os prazos acordados e também previstos no Estatuto Nacional e Regimento Interno.

Finalmente, o Conselho de Administração teve a árdua tarefa de decidir acerca de méritos que apenas eles, conforme manda o Estatuto Nacional, poderiam ter decidido e que impactam diretamente a eleição e, não havendo possibilidade estatutária de uma das chapas se candidatar e concorrer, restou apenas uma chapa habilitada a receber os votos e ser eleita.

Não há previsão no estatuto que determine uma quantidade mínima de votos para uma chapa ser eleita, mas sim critérios para que apenas os membros associados que estejam aptos a votarem e serem votados o façam. Então, membros inaptos não podem votar e também não podem receber votos.

A ABRADi é uma entidade profissional e madura que, durante muitos anos, vem trabalhando em diversas esferas (inclusive governamentais) como player importante no apoio a definições de regras para editais de licitações públicas, projetos de lei e orientação ao mercado, feito este que não seria possível sem uma condução colaborativa por parte de todas as suas diretorias executivas, mas também tendo sempre como pano de fundo o respeito ao seu Estatuto.

Concluímos reiterando o nosso compromisso, como diretoria executiva, de continuar executando o melhor trabalho, no mais alto nível e com muita seriedade, como vem sendo marca registrada da ABRADi e na defesa do melhor interesse do associado.

A ABRADi é uma associação brasileira, de âmbito nacional e é essa a sua maior força!

Permanecemos à disposição de todos os associados nos canais oficiais da ABRADi.

_______________________________________

Alguns pontos mencionados nos canais da ABRADi, pelos associados:
Política: Os cargos eletivos da diretoria executiva são, em parte, políticos. A eleição, em si, é um acontecimento político, no âmbito da associação. Como houve disputa, houve, inclusive “campanha política” das candidaturas;
Interesses: Os interesses da diretoria executiva (e da associação) continuam os mesmos: desenvolver e fortalecer o mercado de comunicação digital. Todos os cargos são eletivos, voluntários e não remunerados;
Obscuridade: Não há obscuridade. Todas as discussões e procedimentos adotados foram amplamente comunicados nos canais oficiais da associação e seguem estritamente as previsões estatutárias;
Direitos: Nenhum direito está sendo cerceado, muito pelo contrário. A eleição ocorreu, conforme manda o estatuto e todos os dispositivos lá presentes seguidos;
Ética e transparência: O processo foi ético e transparente. A assessoria jurídica contratada para assessorar todo o processo ajudou a garantir que ambas as partes tivessem igual peso nas suas campanhas e defesa no processo administrativo, por exemplo, sempre observando o que preconiza o estatuto. Todo o processo foi muito transparente, com ampla comunicação à base de associados e entre as chapas concorrentes. Tudo registrado nos canais oficiais da associação.

 

Veja o vídeo com o posicionamento: