Entrevista com Gustavo Chapchap, Diretor de Marketing e Eventos da ABRADi São Paulo.

10 de julho de 2020 Imagem destacada padrão para postagens ABRADi

Dando prosseguimento à série de entrevistas com nossa nova diretoria essa semana conversamos com Gustavo Chapchap, Diretor de Marketing e Eventos da ABRADi Regional SP. Nessa conversa ele relatou a conduta tomada em sua diretoria durante esse momento de pandemia.

Confira a entrevista.

Quais são os atuais projetos da sua diretoria, levando em consideração as necessidades dos agentes digitais associados? 

Sou responsável pela diretoria que envolve Marketing e Eventos na Regional São Paulo. Obviamente os eventos tiveram que ser transformados por conta do isolamento social. Atualmente os principais projetos estão focados em entregar valor ao associado. Isso envolve: material didático explicando os papéis da regional com a nacional, pesquisas de NPS, entendimento das reais necessidades do agente digital, captação de novos associados e de como a ABRADi pode impactar positivamente no nosso ecossistema. Estamos em um momento em que o associativismo é fundamental para fortalecer o mercado e aumentar a força dos pleitos dos agentes. Há uma demanda de conseguir engajar os colaboradores dos agentes associados, isso passa pela busca de parcerias e benefícios. É importante salientar que o alinhamento da gestão, as demandas sejam compartilhadas entre todos e a troca de ideias é fundamental para conseguirmos entregar aos associados.

 

Como sua diretoria pode auxiliar os agentes digitais neste momento de crise?

Nosso plano é fortalecer a ABRADi, aumentando a exposição dos associados para potencializar a geração de negócios e trabalhando para aumentar a qualidade e a quantidade dos benefícios. Além de deixá-los acessíveis a todos. Um grande desafio é aumentar a participação do agente no dia a dia da associação e aumentar a interação entre os associados, para isso estamos fortalecendo a comunicação e abrindo um canal para que todos fiquem informados de tudo o que tem direito.

 

Como a responsabilidade social pode auxiliar na atuação das empresas no ecossistema digital da sua região?

Neste momento de pandemia, as empresas precisam confirmar valores e propósitos com atos, o que transcende frases bem escritas nos sites institucionais. A pandemia acelerou a mudança das relações e evidenciou a importância da solidariedade.

A ABRADi é eixo do ecossistema de agentes digitais que ganharam ainda mais relevância com a aceleração da transformação digital, mas também ganhou mais responsabilidade no campo social.

Como especialistas de um segmento que é protagonista no processo de transformação digital, é fundamental ter responsabilidade social e manter o compromisso com desenvolvimento da sociedade, respeitando os colaboradores, gerando valor aos clientes, fortalecendo a concorrência leal e aplicando políticas que combatem a discriminação e respeitem as diferenças entre indivíduos. Responsabilidade social é pré-requisito para empresas inseridas na sociedade atual. A ABRADi possui uma diretoria dedicada ao tema que mostra a importância do assunto.

 

Sobre a ABRADi

A ABRADi é uma entidade de classe, sem fins lucrativos, que defende os interesses das empresas desenvolvedoras de serviços digitais no Brasil. A entidade está presente nos estados do DF, GO, MS, PB, PR, RJ, RN, RS, SC, SP e na Região Norte. Atualmente, possui cerca de 600 empresas associadas.

A ABRADi é um ambiente democrático e inclusivo para todas as empresas que tenham as soluções digitais como foco prioritário de atuação. Adotamos como proposta principal, a mobilização das agências digitais em torno de propostas de consolidação do setor e no auxílio às empresas associadas na gestão de seus negócios.Estimulamos todos os associados a colaborar ativamente na discussão de normas e processos de excelência e a dialogar francamente com o mercado e os outros setores da sociedade.

Acreditamos que bem geridas, essas empresas tornam-se construtoras de uma sociedade mais transparente e livre, que utiliza a Internet para se informar, estudar, fazer negócios e exercer seus direitos de cidadania.