Comitê de F&A ABRADi: fusões funcionam para o seu negócio?

7 de outubro de 2020

Se você é empresário, provavelmente já ouviu falar sobre modelos de compras, vendas e composições de empresas. Um deles é o de fusão, que faz parte do termo “fusões e aquisições” ou, do inglês, “merges and acquisitions” (M&A), amplamente divulgado no Brasil, e que vem ganhando cada vez mais relevância no mercado de todos os segmentos.

 

A prática corresponde ao resultado da soma de duas ou mais empresas e são uma ótima prova de que a cooperação pode ser um forte diferencial para o que você faz ou comercializa. Apesar de ser um processo complexo e, muitas vezes, demorado, são diversas as vantagens que esse investimento pode trazer para o seu negócio.

Quando e como realizar uma fusão?

A fusão é indicada sempre que houver uma mudança importante no mercado ou pela simples escolha da instituição que quer ampliar seus horizontes, independentemente do seu tamanho ou área de atuação. Seus objetivos são expandir as atividades no sentido administrativo, diversificar o portfólio de produtos ou serviços e garantir estratégias mais eficientes para os envolvidos.

 

O primeiro passo para essa ação deve ser estudar a empresa responsável pela compra ou venda e analisar se o negócio será vantajoso para ambas as partes. Feito isso, é necessário um plano de execução, detalhado anteriormente na nossa transmissão “Desmistificando Fusões e Aquisições (F&A)” (leia mais sobre o tema e assista ao webinar completo clicando aqui).

Por que investir em uma fusão?

Do ponto de vista tático do negócio, talvez a principal vantagem de se realizar uma fusão é a redução dos riscos de mercado. Com a aliança, a companhia unifica duas ou mais receitas, aumentando suas oportunidades e, reunindo conhecimentos diferentes de sócios, gerentes e colaboradores, se torna mais forte para encarar possíveis futuras crises e variações comerciais.

 

A diversificação é outro tópico importante. Aumentar a lista de serviços e produtos do seu catálogo significa atender um público-alvo maior e mais segmentado, amplificando a abrangência da marca. A partir disso, os processos também passam a ser otimizados, os desperdícios são eliminados (ou, pelo menos, reduzidos de forma considerável) e qualquer provável dificuldade pode ser rapidamente resolvida.

 

Para apresentar como esse assunto funciona na prática, no dia 30 de setembro realizamos mais um webinar sobre o tema, dessa vez com os convidados Márcio Coelho (CEO da BriviaDEZ), Augusto Pinto (Sócio Gestor na RPMA Comunicação), Daniel Kroin (CEO e Co-founder da DIWE) e Daltro Martins (Vice-presidente da ABRADi Nacional e Diretor de Negócios da ABRADi – SP) para compartilharem seus conhecimentos e experiências em fusões. Acompanhe o bate-papo completo pelo link:

 

https://www.facebook.com/abradinacional/videos/361860965025883