Saiba tudo que rolou no webinar “A importância do bem-estar da equipe”

10 de setembro de 2021 Webinar Bem Estar

Em tempos de pandemia e home office, manter o nível de engajamento e motivação da equipe se tornou um dos principais quebra-cabeças a serem resolvidos pelos gestores. Mais do que isso, a saúde mental e física do colaborador deve ser tratada como uma das prioridades por parte das empresas.

Tendo essa pauta em mente, a ABRADi organizou o webinar “A importância do bem-estar da equipe”, realizado e transmitido em formato online na última semana.

Comandado por Moysés Costa, Fundador da Ondaweb e Presidente da Regional RS, o evento contou com a participação de Anaumy Mazzottini, Terapeuta Integrativa na Anaumy, Alexandre Suguimoto, Fundador da Kikos Fit, e Luciana Haddad, Médica no Hospital das Clínicas e Consultora da Kikos Fit.

O que é o bem-estar de uma equipe?

Mas, afinal, o que é o bem-estar de uma equipe?, pergunta Moysés aos convidados.  

Para Anaumy, o bem-estar de uma equipe é “quando todos estão fazendo um trabalho alinhado com a energia que carregam”. Em seu ponto de vista, quando se fala em bem-estar, é necessário reconhecer que cada pessoa tem seu traço de personalidade, sendo um dos deveres do gestor entender o psicológico, as preferências e as principais habilidades dessa pessoa, e a direcionar para a tarefa mais adequada. 

Alexandre diz que, em sua opinião, a percepção de um bem-estar está relacionada a um ambiente de trabalho agradável. A partir da pandemia de covid-19, passamos a trabalhar de casa, um ambiente que nem sempre é o mais adequado. Pensando no digital, no entanto, esse formato de trabalho –  de passar o dia inteiro sentado, de estar sempre em frente a uma tela, de não ter uma alimentação adequada – já vem sendo adotado há anos, sendo necessário buscar um equilíbrio e uma disciplina no controle do bem-estar individual. Uma equipe com indivíduos que não estão bem não trabalha bem.

Como lidar com uma equipe de pessoas de diferentes personalidades?

Ao trabalhar em equipe, é certo que existirão pessoas com diferentes perfis e diferentes personalidades. Moysés questiona: como os gestores podem lidar com essa diferença dentro de um ambiente colaborativo? 

Antes de qualquer outra ação, é necessário que seja realizado um mapeamento de personalidades, diz Anaumy. Além do gestor poder conhecer o perfil da sua equipe, o próprio colaborador se beneficiará ao entender qual sua personalidade e quais seus pontos positivos e negativos. Um gestor que saiba direcionar o profissional para onde ele rende mais gera ganhos no ambiente profissional e também na esfera pessoal. 

Alexandre compara o gestor a um maestro: é necessário que todas as personalidades estejam em sintonia com aquilo que elas melhor executam. Apesar de ser comum um colaborador desempenhar uma função pontual, fora do seu escopo, essa ação gera tanto um desgaste para a pessoa quanto ineficiência de resultados para a empresa.

Quais os benefícios da atividade física? Ela pode me ajudar profissionalmente?

E a atividade física? Ela impacta ou não no bem-estar da equipe? Segundo Luciana, os benefícios da prática de atividade física são enormes e comprovados cientificamente, tanto na saúde mental quanto na saúde física. Mudanças reais são percebidas na vida de quem começa a praticar alguma atividade física. 

Entre elas, Luciana cita: 

  • > aumento na produção de neurotransmissores responsáveis pelo bem-estar;
  • > redução na ansiedade;
  • > diminuição no risco de desenvolver depressão;
  • > aumento da sensação de felicidade;
  • > diminuição na hipertensão;
  • > menor risco de desenvolver diabetes;
  • > melhor qualidade no sono;

 

E todos esses benefícios refletem na produtividade do colaborador dentro do ambiente de trabalho. Uma menor timidez, um trabalho mais produtivo e até um desenvolvimento no relacionamento interpessoal são algumas melhorias que podem ser notadas. Uma pessoa mais saudável é uma pessoa mais produtiva.

Como tornar a atividade física um hábito?

Anaumy comenta que uma dica que a neurociência traz é a da instauração de micro-hábitos na rotina. Micro-hábito são pequenas tarefas a serem realizadas antes da tarefa em si que auxiliam na tomada de decisão. Como exemplo, deixar as roupas e os materiais organizados antes de sair para praticar esportes é um micro-hábito. 

Outra dica é, principalmente no início, definir a atividade física como uma tarefa na agenda, como se fosse qualquer outro compromisso que você tem e que não pode deixar de cumprir. Isso auxilia no processo de instauração de um hábito, já que, em algum momento, essa tarefa se torna algo fixo no dia a dia.

Um outro fator que auxilia nesse processo é identificar qual exercício faz mais sentido para você e qual atividade melhor se adapta à sua rotina. A atividade física, acima de tudo, deve ser prazerosa e fazer bem não só para o corpo, mas também para a mente. 

Moyses cita o livro O Poder do Hábito, de Charles Duhigg,  mencionando que a criação de um novo hábito nada mais é do que alterar hábitos anteriores a partir de gatilhos, tendo em vista transformar um hábito negativo em um positivo. Inclusive, é essencial que um gestor, após mapear sua equipe, consiga identificar esses hábitos anteriores e pensar em formas de alterá-los ao longo do tempo.

Você pode conferir essas e mais dicas sobre o assunto no aplicativo Kikos Fit.

Como incentivar o colaborador a começar a praticar uma atividade física?

E o gestor, como pode incentivar os seus colaboradores a praticar uma atividade física? 

Para Alexandre, o gestor deve, além de dar o exemplo, criar condições favoráveis para o desenvolvimento da prática esportiva por parte dos colaboradores. Essas condições podem ser criadas de diversas maneiras, como, por exemplo, oferecer um benefício (acesso a um aplicativo, desconto em academia ou outros), promover competições ou criar desafios na empresa. 

Além disso, Alexandre entende que o oferecimento de uma recompensa pode ser uma forma interessante de incentivo, instigando desafios e gamificando a atividade física. Segundo Luciana, cientificamente existe um sentido nessas possibilidades, já que qualquer forma de disputa – seja contra um amigo, seja contra um aplicativo – estimula a produção de dopamina, neurotransmissor responsável pelo aumento da motivação.

Anaumy, no entanto, reforça que o desafio e a recompensa podem funcionar para um tipo de pessoa, mas não para todos. Para os que não possuem um traço de personalidade mais competitivo, essa gamificação pode se tornar um processo penoso, fazendo com que o indivíduo perca a vontade de praticar alguma atividade física. Relembra que cada pessoa tem seu tipo de atividade física e seu método de motivação particular ao seu jeito de ser. Um cardápio de opções deve ser oferecido pelo gestor à sua equipe, tanto em relação ao tipo de atividade física quanto na forma de incentivar o colaborador. 

Considerações finais

Ao final do webinar, tivemos o sorteio de um ano de assinatura gratuita no aplicativo Kikos Fit. A Kikos Fit é uma das parceiras ABRADi e oferece um benefício exclusivo aos associados. Não deixe de conferir!

Para assistir ao webinar completo, acesse: https://youtu.be/GfWsJBj_i90