Brasil tem dois finalistas no WSA-mobile 2012

Por Administrador, 20 de dezembro de 2012

MyFunCity e Hand Talk estão entre os 40 melhores conteúdos e aplicativos móveis do mundo. Cid Torquato representará o Brasil no evento.

O Brasil conseguiu emplacar dois finalistas na WSA-mobile 2012, premiação internacional que a cada dois anos escolhe os mais inovadores conteúdos e aplicativos móveis do mundo. O prêmio foi criado em junho de 2010 por meio de uma parceria entre as Organizações das Nações Unidas (ONU) e o World Summit Award (WSA), iniciativa global que surgiu na Áustria em 2003 para selecionar e promover os melhores conteúdos e aplicativos online.

Na edição deste ano, dos 435 projetos de 102 países inscritos gratuitamente no WSA-mobile, 40 já foram selecionados por um júri online para a final, que será realizada em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, entre os dias 3 e 5 de fevereiro de 2013. Na ocasião um júri presencial vai indicar o vencedor de cada uma das oito categorias da premiação. “Também haverá uma série de workshops e seminários de altíssimo nível, com gurus e consultores de diversas partes do mundo discutindo e apontando tendências do mundo mobile”, diz Cid Torquato, WSA National Expert.

Um dos representantes brasileiros é o aplicativo MyFunCity, que concorre na categoria m-Government & Participation junto com projetos da China, Cingapura, Nigéria e Suécia. Lançada em outubro de 2011, a plataforma – que é considerada a primeira rede social privada de interesse público do país – permite que os cidadãos avaliem a qualidade de vida das cidades a partir de onze indicadores relacionados a trânsito, segurança, meio ambiente, saúde, educação e bem-estar.

Já o Hand Talk, uma solução digital para inclusão social, é um dos cinco finalistas da categoria m-Inclusion & Empowerment, que tem também participantes da Alemanha, Equador, Japão e Portugal. Ganhador do Salão da Inovação do RioInfo 2012 e do DemoDay de Alagoas, o app desenvolvido pela start-up brasileira de mesmo nome funciona como uma espécie de tradutor para a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Por meio de um personagem, o Hand Talk converte, em tempo real, sons e palavras contidas em imagens para a língua gestual, facilitando a comunicação entre surdos e ouvintes.

Entre os critérios levados em consideração na escolha dos finalistas, segundo Torquato, está a conformidade dos aplicativos com os padrões e diretrizes definidos pelo Consórcio World Wide Web (W3C), favorecendo, assim, a replicação dos cases de sucesso em todo o mundo. Ele também destaca a importância de os projetos terem um desenho universal e serem inclusivos. “A ideia é que esses aplicativos possam ser usados pelo maior número possível de pessoas, independentemente de sua cultura, localização geográfica ou capacidade física ou mental.”

Fonte: ProXXIma