João Andrade, presidente da ABRADi Regional Santa Catarina, ressalta a relação entre agentes e clientes

Por Paulo Centenaro, 22 de agosto de 2019

                                                        Essa semana falamos com João Andrade, o Presidente da ABRADi Regional Santa Catarina. Ele já trabalhava com marketing digital e comunicação desde 2003. Graduado em Administração com especialização nas áreas de Marketing e Negócios Digitais, atualmente João é sócio e diretor da A2C e no Carbon. 

Confira a entrevista que fizemos com ele.

Como você compreende a importância da ABRADi para promover a conexão entre os agentes digitais?

Você quer ser melhor do que é hoje? Se conecte e conheça pessoas melhores, ou com as intenções e ideais similares aos seus. Temos hoje uma rede nacional de excelentes agentes digitais, conseguimos criar essas conexões e relações que agregam muito para os nossos associados. Nesse Brasil continental, conhecer empresas e pessoas com expertise diferentes sem dúvida traz reflexões e aprendizados.

Como você explicaria a conexão entre os associados e as empresas contratantes?

O momento do mercado é de dúvidas no formato da relação para agentes e clientes. A melhor forma de conexão entre os dois são as expectativas de ambos na mesa, a relação se inicia quando as perspectivas se assemelham. Enquanto os dois lados estão ganhando, essa conexão deve ser mantida, mas quando uma das partes entender que não tem mais sentido é hora de encerrar o ciclo. O momento pede pela transparência, e nesse jogo os dois lados podem e devem ganhar.

Na sua visão qual o grau de maturidade do mercado de comunicação digital na sua região? A ABRADi tem ajudado no desenvolvimento do negócio? Como?

O mercado digital ainda é muito novo, não só em Santa Catarina, mas no Brasil e no mundo. Ainda existem muitas trilhas para serem desbravadas. Por ser um mercado que tem novidades com muita frequência, novas oportunidades e desafios surgem na mesma intensidade. Em Santa Catarina temos feito um trabalho de mostrar a cozinha para nosso “concorrente”, como estamos fazendo, acertando e errando (ofertas, produção, gestão, etc.). Particularmente não vejo os outros agentes como concorrentes, pois se perco um cliente ou deixo de ganhar uma concorrência é porque eu não consegui fazer um trabalho que deixasse o cliente realmente encantado. Ou seja, o maior concorrente está dentro da minha própria empresa, de mim mesmo.

Como presidente da Regional ABRADi, quais as suas sugestões para melhorar o ecossistema digital na sua região?

Trocar aprendizados entre os agentes, entender com quem está tendo sucesso no seu modelo de negócio e como isso pode ser “copiado e adequado” para que seu “concorrente ou melhor parceiro” também tenha sucesso. O mercado é grande e tem clientes para todos, se houver mais e melhores agentes na nossa região todo o ecossistema se fortalece. Teremos mais clientes contratando empresas regionais, mais profissionais trabalhando e crescendo, e mais desafiada uma empresa será para evoluir e entregar um trabalho melhor.